sábado, julho 9

Maldita rotina

2ª feira (9 da manhã) - Levantas-te apressada e vais trabalhar.
3ª feira (10 da manhã) - Levantas-te e tropeças. Tás atrasada comá merda!
4ª feira (17 horas) - Desfolhas o verniz das unhas.
5ª feira (23 horas) - Dói-te a cabeça.
6ª feira (1 da manhã) - Dormes contente porque tás de fim de semana.
Sábado (meio-dia) - Queres festa!
Sábado (15 horas) - Dizes que me amas.

- Amas-me?
- (de olhos semi-cerrados) Amo-te. Para sempre.
- 4ª feira às 17 horas ... amas-me?
- (olhas de soslaio)

Domingo (qualquer hora) - Não existe.

2 comentários:

zibliana disse...

sob a rotina
construir algo
que a rotina ignore

lugares inacessíveis -
só aí sobreviveremos

sobre
viveremos

anular o tempo

nada mais belo que ouvires:
para sempre
para sempre
para sempre

mesmo se sabes que para sempre
não existe

não me importo que me chamem estúpida
eu gosto de ser estúpida

AlexandraAlpha disse...

Uma forma de dizer q há coisas q são fáceis de dizer. Senti-las da mm forma... mais complicado.
E a rotina é tão fácil, tão cómoda.

Mas, tb gosto do para sempre. *
(gosto é de questionar e implicar com tudo :p)