sábado, setembro 22

Se...

Se
[ao de leve]
o teu coração
[com a minha boca]
eu pudesse beijar,
sabe-se lá,
se não se levantaria
uma tempestade de areia
em alto mar.


Talvez
[até]
a minha pressa
me deixasse
[caminhar]
e esmorecesse
[de vez]
ao estender-te a mão.


Quem sabe,
repararias em mim,
e o meu coração
[nesse instante]
pararia
deixando-me pensar.


Então
[sentia]
afinal talvez tivesse sido ele
e não eu,
que te queria
[gentilmente]
beijar.


Gar

2 comentários:

Caracolinha disse...

Ora ...

Se ...
Talvez ...
Quem sabe ...
Então ...

Deixam antever assim qualquer coisa de suspanse ...

É para continuar ????

Olha sempre me podes beijar gentilmente a mim ... daqui a nada já vou a caminho ... quero esses bracinhos bem abertos heim ????

rsrsrsrsrsrsrsrs ...

See U ... :)

Pipinha disse...

Se... ler nas entrelinhas fosse como degustar um xocolate, talvez a pressa abrandasse a leitura, que entre vogais e consoantes navega sem saber o rumo.. na indefinição de um "Se"...