sexta-feira, junho 8

Eu e a Sardinha....

Nunca tivemos uma boa relação. Ou porque era as espinhas ou porque era a pele ou pelo cheiro nauseabundo do assar... é mesmo: DETESTO SARDINHAS!

Ontem, lá me entretive a ver o canal 2, na falta de melhor e por não perceber nada de novelas, deu um daqueles documentários que eu aprecio. Falava do MONSTRO!

Eu explico.... o Monstro das sardinhas é uma super migração de mais de 5 mil milhões de sardinhas ao longo da costa da África do Sul, percorrendo uma distancia de 3 mil quilómetros (ou mais, que foi muita coisa para eu fixar!) durante 3 meses!

Digamos que é muito peixinho a ir de férias, deixa de ser um cardume passa a Manada mesmo!

Ora a senhora bióloga andava atrás das sardinhas... até aqui tudo bem, eu também já andei atrás de algumas de corrida e nunca me queixei!. Ela perguntava-se porque migravam elas, eu perguntei-me sempre porque é que as minhas eram bélsbicas... mas isso são outros quinhentos!

Voltando à questão, o Monstro assusta!

Confesso que a dada altura tive receio de ter pesadelos com a coisa... confesso que cheguei a dar-me ao luxo de ser ligeiramente, repito um tiquinho de lamechas... é que os peixinhos eram tantos e por vezes tão apertadinhos, que já percebi de onde vem a famosa expressão utilizada na hora de ponta do Metro... à semelhança do que acontece por cá... as sardinhitas (lá tou eu a facilitar e a ser meiguinha!) que iam no meio da manada... morriam por falta de oxigénio!

Quer dizer... a senhora dizia que era por falta de oxigénio... mas gostava de a ver no meio delas (ou no nosso Metro) com a carita coladinha ao rabo da outra e tipo... Ai desculpe, desculpe.

Aposto que de vez em quando lá saia um de pantufa e por certo é isso que as faz morrer!
O peido de uma sardinha entalada deve ser mortal (assim consigo explicar o cheiro delas a assar)!

Foi deveras impressionante!

Mais... as pobres (agora tou cheia de compaixão) sofriam ataques de toda a espécie de predadores: desde as aves (aos milhões!) que as perseguiam dia e noite e total kamikazes se lançavam dos céus em mergulhos para as abocanhar! Depois vinham os golfinhos.... mais de 200 mil! A seguir os tubarões, cabrões também comem sardinhas!

Por fim o Homem.... lançava umas redes e vai disto que amanha pode já não haver!

Graças a Deus não moro para aqueles lados, já me tava a ver a ser coagida a ir com uma taparuerezinha apanhar meia dúzia... com a família aos gritos comigo porque não tenho jeito para nada e nem para a apanha da sardinha sirvo!

Outra Graça a Deus porque as benditas das sardinhas não migram para estes lados do atlântico!
Vão para aqueles lados onde há fomeca a sério, aqui temos fome mas é daquelas de brincar como o ENGENHEIRO diz... diz ele mas o que ele diz é pinóquio!

Não me posso alargar na critica politica porque podem fechar-me o blog, sei lá!

Voltando à sardinha que é mais interessante... acabei por cochilar perto do fim do filme... mas deu para perceber que aparentemente não há motivo para aquelas grandes malucas fazerem a viagem.... a senhora até disse que devia ser por elas serem boazinhas que assim alimentavam e renovavam o ciclo natural das coisas... ora aqui deu-me que pensar:

- Prometi a mim mesma que vai ser com redobrado respeito que na próxima vez que passar por um assador de sardinhas vou olhar e não criticar as ditas.

- Prometi que vai ser com reverencia cada abertura de lata de sardinhas com molho de tomate nas alturas em que não me apetece cozinhar...

- Prometi ainda que no Metro... não vou pensar mais obscenidades quando estiver entalada ... juro que me vou lembrar das alminhas falecidas na manada!

- Por fim... escusas de me dizer mais: Lá tas tu armada em carapau de corrida!
A partir de hoje prefiro armar-me em sardinha de corrida! É mais realístico e tem mais valor!

Pronto... tenho dito!
Antes que chegue o Santo António... pensem nisto! Não comam sardinhas sem reflectir no acto de abnegação delas!


1 comentário:

AcidoCloridrix disse...

Há Sardiiiiinhaaaa liiiiindaaaa,,,, venha ver fregueeeeesaaaaa,,,,,