sábado, dezembro 2

LesBoa??? Mau...

Bem… há anos que não me dava destas fúrias!

Então não querem lá ver, uma pessoa esforça-se tanto para inventar um acontecimento social, benemérito, sem fins lucrativos que possa congregar a maioria das Lés deste país e depois sem dizerem água vai nem vem (à vinda pode ser sempre uma inundação) copiam-nos a IDEIA!

Tá mal!

Deixo aqui escrito para quem quer OUVIR, que a ideia da Lés Boa foi minha!

E posso dar-vos provas disso, ora reparem:

- Inventei o nome de FESTAROLA para toda a LÉS BOA, pensando eu (pobre e inocente) que devíamos fazer uma homenagem a todas as lés boazinhas deste país!

- Peguei no bloco e na caneta e comecei por inventariar quantas Lés Boazinhas eu conhecia…
Confesso que acabei por dormir de cansaço… pois assim de repente e ao fim de duas horas não me tinha ocorrido nenhum nome!

Tive que ser dura nos critérios! E não podia homenagear Lés que tivessem assumidamente maus comportamentos!

Avançando, vai daí… em conversa com algumas personagens no IRC, lá constituímos um comité organizador e decidimos criar a Má Lés… agora sim… tínhamos pano pá mangas!

Uma festa a pensar nas Lés que por uma razão ou outra tão marcadas com o selo de “FOGE SENÃO TÁS FEITA!”.

Decidimos convidar algumas pessoas a nível internacional, e mandamos convite à Almerinda (dos arredores de Beja) e à Graciosa que amavelmente se prontificou a descer a serra (Viseu) e ainda por cima com este frio não se importa de vir carregada com os queijos lá das cabras dela.

- Como estão a perceber, tínhamos tudo garantido para ser uma grande FESTAROLA! Uma party em estrangeiro!

- A Sonhadora ficou responsável pelos comes-e-bebes, a Rapariga da Noite pela animação musical, a minha amiga Avara pelo reportório artístico e eu para variar fiquei com o marketing e publicidade!

- Em reunião aprovamos a imagem geral para o evento, ficou bué da naice, e estipulamos que por ser uma festa sem fins lucrativos e para metermos um pouco de ordem na dita (pois não queríamos massas populares e pobretanas lá no meio a criar confusão) os ingressos de entrada iriam estar a venda na FNAC e na TicketLine simbolicamente ao preço de 100 euros.

- Feitas as contas e cálculos, apostamos que iríamos ter pelo menos e digo pelo menos… para cima de 10 pessoas!

Com uma margem de manobra desta arriscamos e decidimos fazer uns cartazes todos catitas para atrair as moscas!

- As Lés que nos pretendíamos homenagear por certo que iriam ficar agradadas com tal coisa… e depois o preço estava óptimo! Não é qualquer uma que abdica de comprar um swatch para ir à festa! Pode sempre pedir emprestado a uma das namoradas que depois mais tarde tem tempo de se esquecer de pagar!

- Mas tava eu a dizer… com expectativas tão elevadas…decidimos contratar o Sr. Augusto aqui da tipografia da esquina e como a Festarola era coisa em grande mandamos fazer para cima de 15 cartazes tamanho A4 exageradamente grande, só por causa da mania das grandezas da Sonhadora.

- Ah… esqueci me de referir que escolhemos a Tapada de Mafra como o local ideal para fazer lá a Festarola. Tá mesmo a ver –se porque!

Ali ainda há veados e assim qualquer Lés mais provida passa despercebida e depois porque a Avara conhecia lá o senhor que toma conta dos portões e podíamos estar até às tantas que não fazia mal nem pagávamos mais por isso!

Uma garrafa de tintol para o individuo e podíamos fazer as maluqueiras que nos apetecesse!

- Na semana passada, fui buscar, conforme combinado, os cartazes e para meu espanto… quando fomos a abrir o pacote tivemos um percalço!

- Deve ter sido do computador, só pode, porque em vês de Festarola para todas as Má Lés tava escrito Festareles para todas as Más Rés!

Ora assim não quisemos fazer mais festa nenhuma! Sei lá o que podia acontecer!

Imaginem que em vez de 10 pessoas apareciam 20!

Era o descalabro total, depois não tínhamos nem comes nem bebes para tanta gente!

E mais… era um perigo em termos de saúde sanitária… tanta gaja a fazer xixi ao relento numa zona tão natural como aquela!

Nan… não foi desta que organizamos a coisa…mas isso não dá direito a que me copiem as ideias! Ou dá???

Agora tamos a pensar organizar uma coisa em grande mesmo!

Assim tipo como aparece naquela série da palavra élé… imaginem um hotel cheio de gajas e em vez de se brincar aos papelinhos com mensagens e dizeres engraçados… brincávamos com papelinhos mas com os números de quartos todos trocados! (Gandas ideias bolas!)

Hei… que tal???

Aposto que era um incentivo para muita Lés Boazinha. Não???

5 comentários:

Anónimo disse...

Olá:)
Bem espero estar nessa lista e receber o convite para a tal festarola no hotel pois trocadilhos de numeros adoro!
e como não dá para apostar no casino quem sabe ai me sai um numero giro!heeheheheeh

Anónimo disse...

Eu estou tristissima pois não chegaste a chamar o meu numero de senha...assim tive de passar a noite inteira a corre á volta da cama no quarto ao lado para escapar á rapariga das noites.

Jeibos, e da proxima vez num me eskapas gostosaaa.
Ana Romana

Anónimo disse...

Tens toda a minha ajuda para a organização..eu fico com a distribuição de quartos e dos numeros!! ihihihih a parte da logistica tas´a´ver..certifico-me que as meninas ficam bem instaladas..iihihihi

fenix de luz disse...

Meninas vamos a isso... o que nós gostamos é de Festa... E se fizessemos todas um cruzeiro...Que tal acham... Se as coisas não agradarem ... borda fora ...loolll

fenix de luz disse...

Meninas vamos a isso... o que nós gostamos é de Festa... E se fizessemos todas um cruzeiro...Que tal acham... Se as coisas não agradarem ... borda fora ...loolll