terça-feira, julho 5

Conversa de cama

- Deita-te!
- Porque haveria?
- Há quanto tempo estás aí assim? Pelo menos chega-te para cá.
- Não consigo. Tou com uma cãibra.
- Arre! É sempre a mesma conversa.
- Além disso, tenho uma mão a empurrar-me, como podes ver.
- Sei... e eu tenho outra que insiste em apertar-me. Todos os dias a mesmíssima coisa. Se não fosses tão teimosa, eu não estaria cheia de nódoas negras, tu não estarias com cãibras e nós não sairíamos disto todas lambusadas.
- Mas tu tens sempre que implicar com alguma coisa? Impressionante!
- E pára com isso!
- Com o quê?
- Lá tás tu toda espasmada!
- Elá!! Lá se foi a cãibra! Parece que em breve me juntarei a ti.

(E assim rezavam, de uma perna para outra)

in Diário de Uma Perna, Vol. III, p.37

1 comentário:

7 disse...

Looooool
:)