terça-feira, junho 28

Reflexões de uma Rita ao Entardecer - V


[...]
- Pára de me sorrir! Fico sem jeito com esse teu sorriso safado e tu não mereces…
- Sorrio apenas…olha bem pa mim.
- Gandula do sorriso doirado…desapareces e voltas como se nada fosse, até a pobre da cadela suspirava aí pelos cantos.
- E a dona não?
- ‘Tás a ver como tu és…
- Anda… vamos dançar…
- Promessas… estou a espera que me ensines a dançar salsa, vai para séculos!
- Tratamos disso já.

O velho sótão deu lugar a salão de baile. O leitor de cd’s cantava em espanhol e os umbigos uniram-se, dolentes, sensuais no ritmo da música. Acabaram sem forças em cima da cama a rir como loucas.

- Ju… tu não sabes cuidar, nunca sei onde andam esses teus olhos e essa tua boca… – passeava ao de leve os dedos magros pelos lábios da outra como que a registá-los.
- Didi… que vou fazer contigo… não sei suar por ninguém mas gostava de aprender – deixava ficar a mão larga no cabelo revolto.
- Que ao menos uma vez na vida tu fiques…experimenta ficar, preciso que cuides de mim. Estou cansada de torradas barradas com saudade todas as manhãs…se ao menos não tivesses esse sorriso de coisa nenhuma que apetece agarrar e beijar continuamente…ai Ju…que estás tu a fazer comigo.

Soltou uma lágrima enquanto embrulhava os lábios e lentamente desprendeu-se do abraço.

- Vem cá. Senta aqui no meu colo…quero beber dessas lágrimas...devem ser gostosas…
hum… – lambeu-lhe a cara suavemente – chaticeeee tão alcoolizadas!
- Parva! Não comeces…quero conversar seriamente, não me faças rir!
- Não tenho culpa…não bebesses tanto branco ao almoço.
- Mas será que tu existes para me tirar do sério???
- Não… eu existo para te por a sorrir… percebes a diferença?
- A mim e ao resto do universo e arredores… já sei…que mania essa a tua de passares pela vida a seduzir pessoas…
- Didi… pessoas e animais não te esqueças… – piscou o olho à cocker .
- Gandula… só me faltava uma gandula como tu para compor o ramalhete…raios, quem me mandou a mim…não aprendo mesmo! Que vou eu fazer contigo?
- Sei lá… precisas de saber já? Se precisares deixa-me espreitar ali na net quais os filmes disponíveis…
- Eu dou-te o filme...dou dou. ‘Tou a escrever o guião não tarda – não resistiu a sorrir.
- Hei essa frase é minha! Levas uns patins em linha …levas, levas!

Sem darem conta o silêncio tomou conta das águas furtadas. Ficaram juntas, na cama, o tempo necessário para espreitar as estrelas por entre a janela suspensa do telhado.
Aos poucos foram saindo.

Não basta devorar paisagens para ser feliz…

[...]

1 comentário:

zibl disse...

furtar águas, devorar paisagens, assim de repente não me estou a lembrar de coisas melhores do que essas